O uso das redes sociais para fins comerciais não é mais novidade. Essa estratégia de marketing já vem sendo utilizada por muitos vendedores e empreendedores neste últimos anos. 

Além disso, com a pandemia, é possível dizer que essa situação aumentou ainda mais, porque as pessoas pesquisam tudo pela internet antes de comprar.

Ou seja, hoje em dia as pessoas não só pesquisam coisas curiosas no Google como “táxi aéreo custo”, como também coisas que precisam para comprar como “cadeira de mesa” ou “mochila infantil”. As pesquisas antes da realização de compras aumentaram. 

Diante disso, diversas empresas que antes não utilizavam meios digitais para vender, tiveram que fazer essa migração para não perderem vendas e se manterem no mercado. 

E, obviamente, devido a essas mudanças de comportamento de compras dos consumidores nos últimos 2 anos, o crescimento tem sido escalável. 

Houve um aumento de 20,56 % em janeiro de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado. Esses dados são provenientes do indicador MCC-ENET, em parceria entre o Compre & Confie e a Câmara Brasileira da Economia.

Se você quer saber como fazer vendas pelas redes sociais e aproveitar este momento  de grandes consumíveis para tocha mig, confira este post com todas as informações sobre como funciona as vendas em cada rede! 

Vendas com o Facebook

O Facebook continua a ser das redes sociais a rede social mais influente e uma das ferramentas de comunicação digital mais utilizadas pelas pessoas. De acordo com as pesquisas, são mais de 130 milhões de brasileiros ativos no Facebook. Logo, é uma plataforma ideal para todos os tipos de comércios. 

As ferramentas que o Facebook oferece para vendas online são basicamente duas:

  • Vendas e publicidade no marketplace;
  • Lojas do Facebook.

O Marketplace pode ser usado tanto por pessoas físicas, como um local virtual para vender produtos usados ​​ou mesmo novos, quanto por empresas. E a maioria dos produtos e serviços são aceitos para vendas no Facebook. 

Ou seja, você pode vender seus serviços de instalação de energia solar em residência, por exemplo, ou ter uma loja virtual de produtos eletrônicos, etc. 

No entanto, os anúncios publicados no Marketplace devem estar em conformidade com os regulamentos de vendas e os padrões da comunidade do Facebook . Conforme exigido por lei , há uma restrição de vendas de:

  • Álcool;
  • Animais;
  • Materiais perigosos (produtos  químicos, substâncias corrosivas, etc.);
  • Suplementos (como barras de proteína, proteína em pó, vitaminas, etc.);
  • Produtos de tabaco (cigarros eletrônicos ou dispositivos de tabaco).

Mas, tirando essas restrições, o Facebook outorga de uso de água subterrânea e concede, facilita e apoia empresas e freelancers na criação de uma loja online no Facebook, oferecendo uma verdadeira vitrine virtual pessoal. 

Ou seja, as lojas podem exibir os produtos no Facebook e ter o pagamento feito em um site de e-commerce externo, já que no momento o pagamento pela plataforma ainda não está disponível para todos.

Um site pode funcionar bem, pois, se um usuário pesquisar o preço no google, ele poderá ser direcionado. Por exemplo, se seu potencial cliente pesquisar “Avcb preço”, ele pode encontrar sua loja e ser direcionado para ela. 

Em geral, para abrir uma Loja no Facebook você precisa ter uma conta do Gerenciador de Negócios , gerenciar o catálogo de produtos e a página do Facebook usando a mesma conta do Gerenciador de Negócios. Ao criar coleções é possível definir uma espécie de catálogo temático de produtos.

Após inserir os dados da empresa (como: nome da empresa, dados do representante legal, informações fiscais e políticas de vendas), devem ser configuradas as formas de pagamento e envio, condições de devolução e preço. Também é possível personalizar a loja inserindo seu próprio estilo e layout.

A gestão da plataforma é gratuita mas há uma comissão que o Facebook exige de acordo com a quantidade de vendas realizadas. Tudo é esclarecido nas políticas durante seu cadastro no Facebook Business. 

Vendendo com Instagram

Vender no instagram é uma das estratégias mais utilizadas hoje em dia, afinal, já são mais de 1 bilhão de usuários ativos na rede. E com a conta Instagram Business é possível marcar produtos em imagens e vídeos, inserir as características, preços, tudo adequado para e-commerce. 

Ou seja, funciona como uma “ vitrine social”, onde é possível compartilhar produtos em destaque ou usar #hashtags para destacar seus produtos. 

Quando o usuário toca em uma etiqueta ou adesivo, ele é direcionado para uma página onde estão visíveis as fotos dos produtos, as fichas técnicas, os preços e os links onde concluir a compra. 

Também é possível vincular a página da empresa do Facebook à conta da empresa do Instagram, para assim facilitar a gestão.

A experiência de compra no Instagram é bastante envolvente, e muito utilizada pelos empreendedores. Qualquer site pode criar uma vinculação com essa rede, e isso facilita que seu cliente em potencial o encontre pelas pesquisas no Google. 

Por exemplo, se você tem uma loja de produtos climatizadores, você pode criar um site e alimentar com conteúdos que geralmente os usuários procuram, como, “instalação de ar condicionado multi split”, ou “qual melhor ar-condicionado para apartamentos pequenos”. 

Vendas no Pinterest

O Pinterest , ao contrário de outras redes sociais, não é muito focado em criar comunidades em torno de uma marca. É mais uma plataforma de partilha de conteúdos, procura de ideias, produtos, imagens. 

Ou seja, basicamente uma plataforma de pesquisa e inspiração em termos de compras. Atualmente já são mais de 400 milhões  de usuários ativos.

O Pinterest, assim como o Instagram, oferece qualquer conta para marcar produtos nas postagens, que são chamados de “pins” nesta plataforma. 

Ou mesmo, pesquisas dos produtos pelo Google acabam sendo o meio mais frequente para cair na rede do Pinterest. Isso para todos os tipos de produtos, desde “película antivandalismo automotiva”, até “vestidos para casamento durante o dia”, são várias possibilidades.  

Os clientes podem visualizar através das tags, os produtos à venda. Como atualmente acontece no Instagram e no Facebook, a compra ocorre necessariamente no site de e-commerce externo vinculado pelo gerenciador de canais do Pinterest.

Para ser notado entre os diferentes pins, é importante destacar e promover o produto em si com grande detalhe através da descrição , e claro focar na qualidade das imagens publicadas. As fotos destacam as características do produto. 

Para um bom pin de produto é importante adicionar o preço, o link para a ficha do produto, a descrição e – se necessário – a geolocalização do produto.

Para otimizar a gestão da conta Pinterest, é aconselhável criar uma conta empresarial e monitorizar a seção Analytics, para visualizar o índice de aprovação dos utilizadores e observar as métricas dos vários pins.

Vender com WhatsApp Business

O WhatsApp é hoje um dos principais aplicativos aplicativo de mensagens, é usado diariamente por cerca de 1,3 bilhão de pessoas em todo o mundo. 

O serviço Whatsapp Business também está ativo desde 2018 , utilizado apenas por atividades comerciais para vendas de serviços e produtos. Logo, é possível vincular essa rede para vender diversos produtos como acessorios para datadores, roupas infantis, bolsas, e também serviços, se for o caso. 

Enquanto o Whatsapp Messenger é usado de forma privada e pessoal, o Whatsapp Business permite que você ative mais alguns recursos e permite que você se conecte diretamente com consumidores e clientes. 

Em ambos os modos é possível conversar, ver e compartilhar status e fazer chamadas telefônicas.

Ou seja, a conta Business oferece mais algumas opções: você pode escrever mensagens predefinidas, criar marcadores para categorizar conversas e monitorar estatísticas.

A principal vantagem de seu uso é poder gerenciar pedidos que podem ser recebidos via WhatsApp de usuários com maior organização, e estabelecer relacionamentos diretos mesmo com clientes menos tecnológicos que não estão presentes nas redes sociais.

Há também a possibilidade de visualizar o catálogo de produtos (ou serviços) e gerenciar pedidos e clientes de forma mais organizada diretamente pelo chat, em comparação com a conta padrão mais básica do WhatsApp.

A única desvantagem na gestão de vendas via Whatsapp Business é que o cliente não pode interagir diretamente com a empresa procurando o nome da empresa no WhatsApp, é necessário ter o número de telefone associado à conta do WhatsApp Business.

Mas isso é facilmente resolvido com algum direcionamento de link, que pode ser incluído em sua página no Instagram, no site ou no Facebook. 

Como já mencionamos anteriormente, incluir no seu site funciona para todas as redes sociais, inclusive Whatsapp Business. É, na verdade, uma  integração com diversos sistemas de contato (Facebook Messenger, Whatsapp, Email) entre consumidores e pequenas empresas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como posso te ajudar?