Saúde digital: Entenda o que é e como aderir a ela

Saúde digital: Entenda o que é e como aderir a ela

A tecnologia ajudou a revolucionar o mercado e os seus mais variados setores. Inclusive, uma das áreas que as novas tecnologias estão ganhando destaque é a da saúde, de modo que surgiu o termo saúde digital.

A chamada saúde 4.0, ou também e-saúde, é todo o sistema médico influenciado pelas tecnologias, principalmente relacionados à automação de processos e tratamentos médicos ou estéticos, como é o caso de novos materiais, como os usados no clareamento dental preço.

No presente artigo abordaremos sobre o que é saúde digital e como ela vem sendo adotada pelos profissionais da saúde e as mais variadas clínicas.

O que é saúde digital?

Quando um setor utiliza elementos tecnológicos para melhoria dos processos, podemos dizer que a área dos TICs está sendo explorada. 

Os TICs consistem nas Tecnologias da Informação e Comunicação. No ramo da saúde, essa área é chamada de saúde digital.

Os TICs na saúde podem ser aplicados para uma série de processos e gerenciamentos, como:

  • Tratamento de pacientes;
  • Promoção de aprendizagem;
  • Pesquisas;
  • Agendamentos mais rápidos.

O uso da saúde digital é tão importante que a Organização Mundial da Saúde aponta essa área como uma das principais pontas para monitoramento da saúde de populações, a fim de antever prováveis epidemias ou surtos infectológicos.

Em uma microescala, a e-saúde facilita o cotidiano de uma clínica ou de um hospital, de maneira que todas as informações sejam concentradas, como documentação de aparelho invisivel preço, contato dos pacientes, além de integrar variadas tecnologias.

Um dos exemplos do uso de saúde digital é o rastreamento de doenças por meio de crowdsourcing – um processo de obtenção de ideais e dados por meio da contribuição coletiva – e de mensagens para o gerenciamento de doenças como diabetes.

Existem outros componentes que constroem o perfil da saúde digital como: inteligência artificial; automação; aplicativos; dispositivos vestíveis, conhecidos como wearables; e a telemedicina. 

Benefícios da inovação em saúde digital

A aplicação da tecnologia contribui tanto para a melhoria de procedimentos médicos bucais, como implante dentario quanto para a eficácia e precisão de cirurgias.

Além disso, profissionais, clínicas e hospitais que utilizam a saúde digital trazem inúmeros benefícios, que veremos abaixo com mais detalhes.

1. Apoio ao diagnóstico

Aplicativos e bancos de dados reúnem informações variadas dos pacientes, permitindo que os diagnósticos sejam mais assertivos.

Com a adesão de prontuários unificados e digitais, é possível que durante uma consulta o médico, por meio de nome, ou número de registro de documento, consiga acesso sobre as cirurgias realizadas, as doenças crônicas, as consultas e até mesmo os hábitos dos pacientes.

2. Comodidade

A comodidade se aplica em variadas dimensões. Tanto a facilidade de agendar uma consulta de avaliação para procedimento estético como lente de contato dental que pode ser via email ou SMS.

Como no acesso de diagnósticos, como laudos médicos, que podem ser acessados remotamente e que ajudam para uma consulta mais eficaz e poderosa.

3. Automação de processos 

Para evitar problemas de comunicação e reduzir custos com procedimentos, é possível investir na automação de determinados processos.

Essa automação permite que a clínica tenha uma melhoria na assistência, os dados sejam mais organizados e os serviços de saúde fiquem mais qualificados.

4. Monitoramento do paciente

Por meio de dispositivos vestíveis, os pacientes podem ter um maior controle sobre os índices do corpo, de modo que ocorre a prevenção de doenças, contribuindo para o tratamento.

Esses dispositivos conseguem monitorar o paciente e entregar dados variados, como a frequência cardíaca ou a quantidade de calorias gastas. Pode-se também programar alarmes para o consumo de medicamentos e ingestão de água.

Apesar de tantas possibilidades, a saúde digital ainda caminha, principalmente por conta de variados gargalos, como a falta de uma ação unificada global para a adesão de procedimentos específicos.

A ausência de mão de obra da saúde especializada nesse tipo de atendimento e relacionamento digital, além da necessidade urgente de uma padronização para criação de aplicativos que melhorem a vida do paciente também devem ser avaliados.

Mesmo perante a isso, a saúde digital é palpável e está evoluindo, sendo que já nos relacionamos com ela de diferentes maneiras.

Assim, a tendência é que, em alguns anos, já não tenhamos mais que fazer exames de sangue para conseguir nossos índices de saúde, estando tudo em nosso pulso.


Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com enfoque na humanização.

Por clodh

Claudio é casado com a jornalista Erika Santiago, pai da Victória, publicitário, fascinado por design e tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *